#Review: os sabores de Confident, novo álbum da Demi Lovato

O novo álbum da Demi Lovato, Confident, é oficialmente lançado hoje (16/10) e chega com uma responsabilidade bem grande de surpreender a todos e saciar as expectativas plantadas pela própria cantora sobre a qualidade do material. Mas chega de enrolar, vou fazer uma review faixa a faixa aqui, destacando o que mais gostei e quais foram minhas faixas favoritas:

Confident: a faixa título é uma incógnita: não sei se amo ou odeio. Certamente representa o álbum muito bem e, mesmo com da mistureba de elementos, deixa claro que o registro será eclético… so get ready. A verdade? Não apostaria nela para single, acho que é uma ótima faixa “conceitual”, mas não para ser trabalhada (deu pra entender?)

 

Cool For The Summer: todos já estão cansados de ouvir, né? Mas eu não enjôo, AMO e a considero um dos singles mais sensuais e divertidos do ano. Demi explora sua voz e revela um tom quente e super sexy que, até então havia sido pouco usado.

 

Old Ways: representa uma fusão perfeita entre a “antiga” e a “nova” Demi, Old Ways traz elementos característicos dos trabalhos anteriores da cantora (ouvir refrão) misturado com elementos mais urban. A faixa é uma ótima opção pra single e virou uma favorita entre os fãs. Acredito que essa faixa poderá surpreender bastante quem não acompanha o trabalho da cantora e, devido ao estilo, tem boas chances de bombar lá pelos EUA.

For You: uau! essa surpreendeu muito (até aqui é minha favorita), For You é envolvente e vai crescendo de tal forma que a vontade é de gritar junto, mesmo sem saber a letra. As batidas pesadas ao fundo casam perfeitamente com a voz agressiva da Demi. Curti!

Stone Cold: vou ser sincero, quando essa faixa foi liberada não gostei, achei exagerada (leia-se: muita gritaria). Agora simpatizo um pouco mais, é algo tão melódico que foca em piano, voz e coral que consigo imaginar Mariah Carey cantando, tem bem seu estilo. Como disse, agora gosto um pouco mais, mas não é uma de minhas favoritas.

 

Kingdom Come (feat. Iggy Azalea): tem uma pegada pop urban deliciosa, as batidas pós-refrão surpreendem e são absurdamente viciantes. A voz da Demi não fica pra traz, arrasa nas notas baixas e no refrão vai lá em cima. Iggy chegou para completar e o que já era bom ficou ainda melhor.

Waitin for You (feat. Sirah): essa faixa também me surpreendeu, é pop, é rock, é urban. O inicio sexy engana, e Waitin For You vai ficando poderosa em seu decorrer. Uma ótima música para compor o corpo do álbum.

Wildfire: é uma de minhas favoritas, aqui Demi libera sua Lana Del Rey interior. Wildfire é mística e soa como um sonho. Demi canta suavemente e acompanha o instrumental de uma forma tão gostosa que nos envolve até o fim.

Lionheart: p-e-r-f-e-i-t-a, aqui a moça prova – para quem AINDA tem dúvidas – que ela canta MUITO. Que faixa incrível com um refrão pra ouvir até o fim da vida. Sabe aquelas músicas que nos passam uma sensação de “trilha sonora para o fim do mundo” Lionheart é isso aí. Já imagino tocando naquelas mega produções apocalípticas. A faixa é uma de minhas favoritas, adorei como todos elementos casam tão bem criando uma sonoridade épica.

Yes: não chamou minha atenção, até aqui achei a mais fraca do álbum. Tem um refrão bacana, mas é só. O restante é meio entediante e os “yeees” são bem enjoativos. Simples assim.

Father: Me lembrou muito I’m Ok da Christina Aguilera, não pelo estilo, mas pela temática. Ambas tratam da relação com o pai e, honestamente, não tem como falar mal dessa faixa, né? NÃO TEM. Pura, crua e cheia de honestidade. A voz da Demi tá extremamente vulnerável (com certeza ela gravou chorando) e a letra então…. bem forte. Pra completar o lacre, um coral a acompanha e o resultado é de arrepiar. Deu até pra chorar um pouquinho.

Sometimes I think I hate you. I’m sorry, dad, for feelin’ this, I can’t believe I’m sayin’ it
I know you were a troubled man, I know you never got the chance to be yourself,
to be your best. I hope that Heaven’s given you a second chance

 

Stars: Se em Wildfire Demi libertou sua Lana Del Rey interior, aqui ela liberta sua Nicki Minaj. Essa faixa grita hit do início ao fim. Stars é bem radiofônica e muito divertida. O pop urban combina bastante com Demi e eu adoraria ouvir essa faixa tocando nas rádios.

Mr. Hughes: muitas referências nesse álbum, Mr. Hughes é uma Amy Winehouse meets Kelly Clarkson. Parece não fazer sentido, né? Mas ouça a faixa, tem esse ar old school combinado com vocais bem trabalhados em toda sua estrutura. É bem gostosa e revela mais uma, das várias facetas de Demi Lovato.

Confident com certeza é um álbum completo e, em alguns momentos, pode até soar confuso por misturar tantos elementos e estilos diferentes – impossível encaixar as faixas em um único gênero musical – mas acredito que essa foi exatamente a intenção de Demi: mostrar sua versatilidade, talento vocal e relevância para a música pop atual.
O álbum traz sim alguns exageros e em alguns momentos Demi adotou a mania “Christina Aguilera de cantar demais”. As vezes menos seria mais, viu? Algumas faixas poderiam soar mais agradáveis.

Enfim, Confident cumpre o que promete e, apesar de radiofônicas, as músicas não soam apelativas ou infantis. A maturidade e a tão proclamada auto-confiança são perceptíveis do início ao fim revelando um dos trabalhos mais bem estruturados e polidos de Demi até o momento.

 

Me acompanhe nas redes sociais

Facebook: saborpop
Twitter: samdanielli
Instagram: samueldanielli
Snapchat: saborpop

2 comentários

  1. Ca   •  

    achei bem ruim,o revival pisou bonito. Demi usa a mesma tematica sempre : gritar,gritar e gritar. Ja Selena inovou com algo sexy a no alcance vocal dela.

    • Samuel Danielli   •     Author

      Eu não consigo comparar Demi a Selena, acho que as duas tem propostas bem diferentes e ambas são boas no que se propõem a fazer. Vamos nos amar. <3

Deixe uma resposta