Sabores do novo álbum da Pixie Lott

Esse álbum vem sendo um dilema pra mim, algumas partes gostei e outras odiei. Amei o conceito e a sonoridade. Odiei o nome escolhido (raiva eterna de álbuns auto-intitulados, ok?),  a forma como foi tratado e a voz da Pixie em momentos importantes do álbum.

Pixie foi super querida por todos no primeiro registro Turn It Up. Depois veio o Young Foolish and Happy, segundo álbum, com certo sucesso no primeiro single, mas parou por aí. O álbum, que realmente não era muito bom, foi muito mal nos charts e desde então parece que as pessoas esqueceram que a loirinha existe.

O primeiro single do novo álbum (ok, vamos chamar de #PixieAlbum3, como ela mesma vem chamando) foi Nasty, música originalmente gravada pela Christina Aguilera. A faixa á boa, divertida e recuperou a sonoridade old school do primeiro álbum (boa surpresa!). O problema é que ninguém se interessou e Nasty foi esquecida rapidamente. Então veio Lay Me Down, que também é bacana e traz uma mistura de sonoridades, com um old school e sync pop bem divertidos. Mas, sejamos sinceros, não é surpreendente e provavelmente não vai chamar a atenção de muitos.

Quando ouvi o álbum pela primeira vez, na semana passada, minha reação não foi das mais positivas. Claro, adorei o fato da sonoridade old school estar de volta, muitas músicas contam com um coral e parece que Pixie gravou tudinho dentro da igreja (e toda essa vibe ficou bem surpreendente). O meu problema com a maioria das faixas é essa mania que a Pixie tem de cantar gritado, achando que é uma Christina Aguilera da vida. Algumas músicas se tornam insuportáveis de ouvir – como Ain’t Got You que, apesar de ter linda letra e melodia, é irritante por causa da gritaria esganiçada no refrão.

No #PixieAlbum3, muitas faixas parecem “potetentes” demais para o vocal da Pixie. E não me entendam mal, ela realmente brilha em músicas como Lay Me Down, Break Up Song e Bang (a melhor do álbum) onde canta lindamente e acompanha a melodia sem esganiçar. Então Pixie, por favor, faça mais disso e chega de achar que é uma Mariah Carey da vida. Sua voz é linda, mas tem coisas que não da pra fazer, fica feito, fica enjoado.

 

Deixe uma resposta