Sweet Talker traz uma Variedade de Estilos

Quer um álbum super eclético e com músicas para todos os momentos? Então Sweet Talker é a escolha certa. Jessie J definiu muito bem as faixas que compõem o seu terceiro álbum de estúdio e a variedade de estilos, instrumentos e malabarismos vocais são os diferenciais aqui.

Muitos dizem que Jessie havia perdido sua essência no Alive, eu discordo. Adoro e prefiro ele ao Who You Are, mesmo. O erro foi na escolha equivocada dos singles. Mas com Sweet Talker é impossível não reconhecer que a “velha Jessie J” está de volta, com um trabalho ainda mais polido e coerente. Minhas dúvidas eram grandes sobre o que viria depois do “fracasso” do Alive. Qual estilo seria adotado? Como ela voltaria a sua essência, uma vez que já havia afirmado não querer retornar ao personagem cartoon do primeiro álbum. Mas Jessie conseguiu, e Sweet Talker é uma mistura entre o melhor de Who You Are e Alive.

Vejo várias músicas com potencial para ótimos singles no álbum. Destaco, sem sombra de dúvidas, Ain’t Been Done, Masterpiece, Said Too Much, a incrível faixa título Sweet Talker e é claro, os singles já muito bem definidos Bang Bang e Burnin’ Up.

Nessa nova era Jessie assumiu o mulherão, o corpão, mostrou que sabe dançar – no recente clipe de Burnin’ Up – e revelou talentos desconhecidos. Novas cartas na manga pra provar que é talentosa. No palco Jessie domina, canta 100% ao vivo e interage com o público da melhor forma possível. Vê-la ao vivo deve ser algo inesquecível, ainda mais com o repertório do excelente Sweet Talker.

Deixe uma resposta