Uma pequena reflexão sobre o GLORY da Britney Spears

GLORY tá ai a algumas semaninhas e não é novidade para ninguém, mas como andei um pouco (muito afastado) não poderia deixar de dar algumas de minhas impressões sobre o novo álbum da Brits. Então sem blá blá blá e mais delongas, vamos lá:

Não da pra começar a falar do GLORY sem antes mencionar as baixas expectativas que eu tinha em relação a esse projeto. Afinal depois do Britney Jean e de Pretty Girls (que teoricamente abriria este novo álbum) havia perdido as esperanças totalmente.  Honestamente, minha impressão pessoal era que a Britney não estava nada interessada em lançar um novo trabalho, sendo puramente obrigação da gravadora. Afinal, ela não precisa MESMO. But, #GLÓRIA a Deus estava bem errado e as expectativas começaram a mudar quando ouvi Make Me pela primeira vez e Britney disse, em entrevista, que o álbum teria uma sonoridade mais melódica. Ela até começou a reviver faixas do In The Zone como Breathe On Me (minha favorita eveeeer!) e a ousadíssima Touch Of My Hand.

Ok, tudo isso bastou para me convencer e comecei a pensar “opa! vem algo bom por aí” e, de fato, veio algo SENSACIONAL. Falar que GLORY é tudo que esperamos de um bom álbum da Britney é pouco, este álbum é MUITO MAIS. Soa como o verdadeiro retorno a sua forma (musical, ok) que esperávamos. Um trabalho digno para dar sequência a bíblia Blackout. Para mim já superou horrores o Britney Jean, Circus e até mesmo o Femme Fatale (que gosto bastante).

Neste álbum Britney foi para o espaço, a sonoridade é melódica, galáctica, épica! As músicas surpreendem com várias texturas e elementos surpresa que vão te deixar boquiaberto. Em toda sua carreira, nunca vimos Britney explorar tão bem as nuances do seu conhecido timbre vocal. Todas as faixas foram pensadas como um “body of work” e o álbum tem coerência do início ao fim.

Alguns dos destaques são… tudo! E não é brincadeira, o álbum é mesmo incrível. But ok, vou tentar ressaltar minhas favoritas do momento:

Man On The Moon
Faixa maravilhosa, a voz sexy, deliciosa meio que sussurrada da Britney nos leva para o espaço e parece que estamos gravitando ao redor da lua, de olhos fechados, com a pele arrepiada e sentindo todas as emoções dessa melodia galáctica.

Make Me
O first single perfeito para apresentar esse projeto, sexy, sensual, delicioso e super melódico.

Slumber Party
Quero como single pra ontem! Faixa super atual, da vontade de fazer aquela festa do pijama e dançar muito! Tem uma melodia super envolvente, diferente de tudo que a Britney já fez.

Just Love Me
Se essa faixa não te surpreender, nada mais vai. É sério, talvez seja uma das faixas mais honestas e minimalistas da carreira da Britney, com produção impecável, melodia delicada e envolvente que, combinada com vocais frágeis e honestos, é uma forte candidata para single.

Change Your Mind (No Seas Cortés)
Alguém me explica WHY?! Essa faixa faz parte da versão deluxe? É uma das mais incríveis, mais comerciais e divertidas de todo GLORY. Eu AAAAAAMOOO absurdamente Change Your Mind. É divertida, super animada, envolvente e nada previsível. Por mim serviria até como first single.

Enfim, eu gostei do álbum como um todo. Gostei muito mesmo, então essas faixas são as favoritas do momento, mas as outras são tão incríveis quanto (tirando What You Need – que não consigo nem ouvir).

Mas é isso aí, uma pequena reflexão sobre o GLORY. E acho importante reconhecermos Britney como a realeza do pop que é. Ela não precisa, não deve e nem vai ficar competindo com as novas cantoras pop do momento. Ela já está aí a muito tempo. Charts são importantes? Claro! Mas ninguém irá dominá-los para sempre. Britney já fez isso e sabe que sua influência na música pop é para sempre, ela nunca será esquecida e o que faz de agora em diante deve ser por puro amor a música, seu trabalho e seus fãs. Nada mais.

Ouça o GLORY no Spotify:

Deixe uma resposta